Dia histórico’, diz Padilha sobre a retomada da produção de insulina

 

Ministro anunciou volta da produção nacional em evento em MG
Padilha afirmou que insulina ‘made in Brasil’ vai permitir economia.

 

 

Do G1, em Brasília e em Minas Gerais

 

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse nesta terça-feira (16), ao anunciar a retomada de produção de insulina no país, que o dia é “histórico”. De acordo com o ministro, o Brasil vai ser o quarto país no mundo a produzir o medicamento, usado para o tratamento de diabetes. Ele afirmou que, a partir de 2014, os pacientes poderão encontrar nas farmácias caixas de insulina “made in Brasil”.

“Hoje é um dia histórico na retomada da produção nacional. Estamos mostrando a importância de um país continental como o Brasil ter sua própria produção de insulina, que vai ser importante para a saúde e para a economia. A retomada vai permitir que possamos reequilibrar preço e competir. Com a decisão, nosso país volta a fazer parte do seleto grupo de agora de 4 países em todo o mundo que produzem insulina”, afirmou o ministro em discurso em Minas Gerais, onde vai funcionar o laboratório de insulina nacional.

A produção nacional de insulina foi interrompida em 1999, quando a Biobrás, laboratório que produzia a substância e a fornecia ao SUS, foi vendido a um grupo multinacional. Desde então, o Brasil passou a depender de importações.

“Toda vez que a gente tem mais produtores, mais países participando da produção, mais empresas, aumenta a competição. O aumento da competição reduz preço. Tanto para o Ministério da Saúde, como reduz preço também pro consumidor”, disse Padilha.

O Ministério da Saúde tem expectativa de economizar com a retomada da produção na insulina no Brasil, mas ainda não tem uma estimativa de quanto essa economia vai representar em números. Segundo a assessoria de imprensa da pasta, esse valor só será conhecido quando a produção começar, pois o preço da insulina está sujeito a muitas variáveis.

Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. (Foto: Pedro Cunha/ G1)O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante a
cerimônia (Foto: Pedro Cunha/ G1)

Padilha ressaltou que a produção do medicamento, além de estimular a inovação tecnológica no país, vai garantir “segurança aos pacientes”. “Com um mercado em que apenas três países detêm a tecnologia [de produção de insulina], permanentemente a oferta de insulina no nosso país fica sob pressão”, afirmou. “Às vezes, a insulina que é produzida fora do país, o transporte, a dificuldade de vinda, qualquer decisão estratégica de uma empresa, de parar e produzir, ia levar uma insegurança do fornecimento de insulina no Brasil”, explicou.

O ministro disse também que um dos fatores que viabilizam a produção nacional de insulina é a facilidade de acesso que os pacientes têm aos medicamentos, por meio de programas do governo federal, como a Farmácia Popular.

“Uma coisa que torna viável empresários mineiros voltarem a produzir insulina no Brasil é que a Farmácia Popular da presidente Dilma sustenta a produção […]Hoje 1 milhão de pessoas utilizam insulina do sistema público de saúde. Esse mercado permite que o investimento no Brasil seja sustentável para produzir no Brasil e também ocupar mercados na América Latina e outros países.”

De acordo com Padilha, a insulina produzida no Brasil estará disponível aos pacientes a partir de 2014. “Daqui a poucos momentos, em 2014, o povo brasileiro pode ter nas farmácias uma caixinha ali de insulina dizendo ‘made in Brasil, made in Minas Gerais'”, disse.

dIABETES (Foto: Arte/G1)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: